Restrições à bebida farão parte dos planos de reabertura dos cassinos

Marcony Almeida

Casino

Os reguladores da Comissão de Jogos de Massachusetts finalizaram seus padrões mínimos de saúde e segurança para a reabertura da sala de caça-níqueis do estado e dois cassinos, ontem, dando aos licenciados quase duas semanas para se prepararem para cumprir alguns requisitos com os quais não estavam satisfeitos.

A Comissão já havia estabelecido uma série de requisitos na semana passada, os quais são: Sem pôquer, craps ou roleta até novo aviso, as mesas de jogo no estilo blackjack serão limitadas a três jogadores, e os jogadores devem usar algo para cobrir o nariz e a boca ao entrar, bem como enquanto estão na área de jogos, exceto para tomar uma bebida – contudo, definiu os detalhes finais antes de adotar por unanimidade as novas medidas.

O Plainridge Park Casino, em Plainville, MGM Springfield, e o Encore Boston Harbor, em Everett, estão fechados desde 15 de março e, como parte da Fase 3 de reabertura do estado não podem reabrir antes do dia 6 de julho. Os jogos de cassino foram retomados em Las Vegas, Connecticut e outros estados do país, e a Comissão de Jogos estuda como essas jurisdições se saíram.

Havia quatro questões ainda por resolver na reunião de ontem: como aplicar o plano de limitar o serviço de bebidas a pessoas que jogam ativamente, quais seriam as possíveis exceções para a regra do uso da máscara; como garantir melhor uma distância apropriada ou uma barreira física entre as máquinas caça-níqueis; qual a altura das barreiras físicas nas mesas; e como definir limites gerais de ocupação dos edifícios.

Os comissários concordaram que os jogadores não terão permissão para transportar ou beber enquanto se deslocam pela área de jogos e que os licenciados devem fazer todos os esforços razoáveis ​​para garantir que os hóspedes não violem essa regra.

Alguns comissários disseram estar preocupados que permitir que os hóspedes passem com uma bebida na mão seria muito semelhante a um bar, o qual não pode abrir até a Fase 4 da reabertura do estado. A comissão analisou a questão dos convidados que circulavam com bebidas por mais de meia hora, e os comissários disseram que poderiam entender os argumentos de ambos os lados.

“Não queremos nenhuma consequência indesejável por parte de alguém que consome bebida, pois sabemos que nossos hóspedes gostam de se locomover com bebidas em mãos, porém sabem que não podem andar com ela. Portanto, não quero que haja nenhuma consequência indesejável”, disse a comissária Gayle Cameron. “Eu vejo os dois lados, francamente. Não quero que as pessoas usem isso como uma maneira de beber, apenas porque não podem fazê-lo em um bar”.

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

3 × um =