Trump quer que o país “seja aberto novamente até a Páscoa”

Marcony Almeida

TRUMP

O presidente Trump disse que quer que a nação “se abra até a celebração da Páscoa”, uma data a mais de duas semanas que poucos especialistas em saúde acreditam que será suficiente para conter a disseminação do coronavirus.

Falando durante uma entrevista à Fox News, Trump reiterou que estava ansioso para ver o país voltar ao normal, mesmo quando os médicos alertam que o país verá um aumento maciço nos casos se os americanos voltarem a locais de trabalho ou eventos lotados.

“Dou duas semanas”, disse Trump, sugerindo que ele estava pronto para eliminar gradualmente suas diretrizes de auto-isolamento de 15 dias quando elas expirarem. “Acho que até segunda ou terça-feira, são cerca de duas semanas. Vamos avaliar e, se for necessário, dar mais tempo. Temos que abrir esse país”.

Apesar de anunciar as novas diretrizes sob o memorando “As diretrizes do presidente para os Estados Unidos sobre coronavirus”, Trump parecia se distanciar das práticas durante o anúncio na Fax News.  “De alguma forma, foi divulgado que isso é o que devemos fazer”, disse ele, lembrando em tom de ironia que tinha de ficar distante das pessoas, observando que o país “nunca havia feito algo assim antes”.

“Mas tivemos que fazê-lo. Foi muito doloroso para o nosso país e muito desestabilizador”, disse ele. Enquanto seus assessores preparam opções para que o país volte a funcionar, Trump sugeriu que os americanos ainda seriam capazes de exercer boas práticas de saúde enquanto retornavam ao normal.

“Temos que voltar ao trabalho muito mais cedo do que as pessoas pensavam. As pessoas podem voltar ao trabalho e também podem vencer isso, na minha opinião”, disse ele.

Trump novamente comparou o coronavirus à gripe e a acidentes automobilísticos, apesar dos avisos de seus consultores de saúde de que essas analogias fazem pouco sentido. “Perdemos milhares e milhares de pessoas devido à gripe. Não desligamos o país”, disse ele, acrescentando, “Perdemos muito mais do que isso em acidentes de automóvel”.

Na semana passada, o Dr. Anthony Fauci disse que comparar o coronavirus com acidentes de carro era uma “falsa equivalência” e disse que era importante “encarar o fato” de que o coronavirus é mais letal que a gripe.

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

treze − 1 =