O médico irá vê-lo, mas por telefone

Marcony Almeida

ago (30)

Se você estiver doente, consulte um médico. Mas não pessoalmente, se você puder evitá-lo. Em Massachusetts, a Cambridge Health Alliance e outros hospitais estão ajudando pacientes por telefone.

Durante o surto de coronavírus, o uso do smartphone pode ser uma questão de vida ou morte. Todos nós pudemos aprender uma lição de Naomi Azhar, 49 anos, que recentemente foi submetida a uma cirurgia de câncer de mama e teve uma consulta para acompanhamento em Manhattan. Logo depois de sair de casa, ela recebeu uma ligação do consultório do oncologista: ela gostaria de ter uma conversa por vídeo, usando o telefone, em vez de uma visita pessoal? Eu disse, é claro, isso é muito melhor ”, diz Azhar à imprensa, que imediatamente se virou e foi para casa. “Quem quer ir ao consultório médico agora, neste momento de coronavírus?”.

A realidade é que os profissionais de saúde estão entre os que mais correm risco de contrair o COVID-19 – e as salas de espera dos médicos são ímãs para pessoas que podem ser contagiosas. Assim, nos Estados Unidos, médicos e hospitais estão pedindo aos pacientes que transfiram a atividade ambulatorial para vídeo chats, chamadas de voz, textos e e-mails. Os médicos realmente não querem vê-lo pessoalmente agora. As autoridades pediram aos hospitais que cancelassem todas as cirurgias eletivas e o presidente Trump elogiou os benefícios da telemedicina durante uma reunião na terça-feira.

À medida que mais americanos adoecem com o coronavírus, iniciar on-line provavelmente será sua melhor opção para fazer o teste rapidamente e sem colocar-se em risco adicional. Claro, um exame na webcam parece estranho. Um médico não precisa olhar nos seus olhos? (E vice-versa?) Os aplicativos definitivamente não podem substituir todos os tipos de cuidados – mas você pode se surpreender com o quanto é possível.

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

5 × quatro =