O humano e a dimensão espiritual

É importante entender o impacto que os fenômenos espirituais e experiências religiosas tradicionais e culturais acontecem na vida dos humanos para entendermos a vida por uma visão holística, ou seja para entendermos a vida por completo; em oposição à junção de partes; inteiramente, totalmente, como escreve o dicionário Aurélio. Observamos que cada um de nós na área espiritual, tem suas próprias experiências pessoais, religiosas, culturais e humanas, sem esquecer de respeitar as experiências dos outros. A espiritualidade nos ajuda no processo de crescimento e melhoramento pessoal. A espiritualidade é uma linguagem inconsciente, que tem o poder de modificar a vida dos indivíduos.

Talvez precisemos começar falando ou escrevendo sobre as crianças que descrevem ou desenham suas experiências religiosas e o impacto que tiveram com essas experiências. Crianças aprendem a se comunicar com Deus de três maneiras: socorro, socorro, Socorro; ajuda, ajuda, ajuda, e depois, obrigada, obrigada, obrigado. A espiritualidade é uma necessidade. Está presente na vida dos humanos desde os primórdios.

Vemos citações da espiritualidade em textos bíblicos, filosóficos e antropológicos como por exemplo Totem e Tabu de Freud, em 1912. Quando a criança nasce, pensa que entre ela e a mãe não existe separação e tudo que o bebê conhece é a necessidade e a satisfação dessas necessidades básicas. A percepção da separação, ou seja de que são duas pessoas diferentes, é uma perda inconsciente e traumática para a criança. A espiritualidade nos traz de volta essa necessidade de preenchimento: Mãe x Criança e Humanos x Deus.

O processo de saída da infância é sempre doloroso e é assim que penso que somos apresentados com mais intensidade a espiritualidade, como uma necessidade. Alguma coisa começa a faltar em nossa vida e sentimos como um buraco na nossa existência. A espiritualidade nos ajuda a eliminar a ansiedade, a culpa e o medo dos outros humanos. Através da espiritualidade, encontramos respostas para as nossas aflições diárias e sentimos que Deus nos ajuda com nossa reconstrução interna.

Os Humanos se sentem mal quando verificam que são impotentes e imperfeitos no decorrer da vida. Alguns pensadores como Carl Gustav Jung nos ensinam que o humano está dividido em três componentes: físico, intelectual e espiritual. Ele nos trouxe a concepção do Inconsciente Coletivo, ou seja, Jung explica que nenhum humano se desenvolve isoladamente, temos heranças psíquicas, compartilhadas com a humanidade, como uma base de dados herdada.

Espiritualidade e religião são coisas diferentes. Espiritualidade é uma relação que pode ser pessoal ou em grupo com um Ser superior a nós. Religião é um comportamento de rotina, organizado por uma igreja que na maioria das vezes requer suporte financeiro. As religiões fazem mais mal do que bem aos indivíduos Como exemplo, temos os genocídios como as Cruzadas, A Inquisição Espanhola, o Nazismo e Holocausto, a Matança das Bruxas de Salem, e o ataque de Setembro 11 em New York. As pessoas matam e dizem que é em “Nome de Deus,” quando aprendemos nos 10 Mandamentos que o sexto é “não matarás”.

Para concluir, acredito que um espiritualista tem uma vida com um sentido maior. A espiritualidade é um processo de crescimento e melhoramento pessoal e coletivo. Nos ajuda a ter um melhor equilíbrio entre o corpo e a mente e também nos ajuda para um melhor relacionamento coletivo.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on email
Share on whatsapp

P.O. Box 490543
Everett, MA 02149

Publicidade e Anúncio

© Copyright 2017 | Brazilian J. Magazine
All rights reserved