Nova York aprova carteira de motorista para imigrantes indocumentados

Marcony Almeida

cartira

Nova York tornou-se o 13º estado americano a autorizar carteiras de motorista para imigrantes indocumentados, após a aprovação de projeto de lei pelos legisladores do estado, e rapidamente sancionado pelo governador Andrew Cuomo.

O Senado estadual, liderado por democratas, votou de 33 a 29 em favor do projeto após várias horas de debate. Os deputados aprovaram a medida na semana passada. Os defensores do projeto incluíam o Conselho Empresarial do Estado de Nova York, a maior organização empresarial do estado, bem como muitos defensores dos imigrantes que argumentavam que os imigrantes, especialmente do interior do estado, precisam do documento para trabalhar, cuidar de suas famílias e das tarefas cotidianas.

“Em uma época em que os imigrantes estão sendo usados ​​como bodes expiatórios para todos os males em nosso país, esta é a oportunidade para o estado de Nova York mostrar nossa coragem e força e defender as comunidades marginalizadas”, disse à imprensa o democrata do Bronx, Luis Sepúlveda, que liderou a aprovação do projeto no Senado.

Parlamentares republicanos condenaram o texto que, segundo eles, recompensaria pessoas que violaram as leis federais de imigração, e possivelmente levariam à fraude eleitoral se os imigrantes usarem as licenças para tentar se registrar para votar.

“Não se trata de carteiras de motorista, trata-se de lei e ordem, e do direito dos Estados Unidos de defender a santidade e a soberania de nossas fronteiras”, disse no plenário o senador Rob Ortt. “Estamos diluindo a cidadania. Estamos barateando o que significa ser um cidadão americano”.

A aprovação do projeto de lei foi uma grande vitória para imigrantes e grupos de defesa de imigrantes. Dezenas deles se reuniram no Capitólio para testemunhar a votação de segunda-feira.

A carteira de motorista seria “uma virada de jogo”, de acordo com Jorge Garcia, um imigrante de Long Island que disse à imprensa que precisa de um carro para chegar ao seu trabalho em um depósito. Ele tem dois filhos, ambos residentes legais, e se preocupa em ser deportado se for pego dirigindo sem licença. “Isso significa muito para nós, para minha família”, disse ele por meio de um intérprete. “Não teremos medo de enfrentar um juiz se você receber uma multa”.

O governador Cuomo disse que apoiava a medida, mas na segunda-feira duvidou do destino do projeto, dizendo estar preocupado que as autoridades de imigração dos Estados Unidos tentem obter dados de carteira de motorista para prender imigrantes para deportação. Ele solicitou uma revisão legal pela Procuradora-Geral do estado, Letitia James.

Os defensores do projeto rejeitaram as preocupações de Cuomo como um obstáculo, e James se envolveu rapidamente, embora tenha dito que seu escritório não especularia sobre o que as autoridades federais poderiam fazer em resposta.

“A legislação é bem trabalhada e contém amplas proteções para aqueles que solicitam carteira de motorista”, escreveu a Procuradora em um comunicado. “Se esta lei for sancionada e contestada no tribunal, nós a defenderemos vigorosamente”. Cuomo assinou o projeto no final do dia.

Termos

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

dois + 18 =