Motoristas de Uber terão direito a benefícios trabalhistas

Marcony Almeida

Uber

O aplicativo Uber sofreu, hoje, uma importante derrota trabalhista em seu maior mercado europeu, quando a Suprema Corte da Grã-Bretanha decidiu que os motoristas devem ser classificados como trabalhadores com direito a um salário mínimo e férias.

O caso foi observado de perto por causa de suas ramificações em outros países, nos quais empresas como a Uber contam com uma força de trabalho extensa de trabalhadores independentes para fornecer viagens de carro, entregar comida e limpar casas.

A Uber e outras empresas da economia gigantesca dizem que seu modelo dá às pessoas a flexibilidade de escolher quando trabalham, enquanto os críticos dizem que isso corroeu as proteções aos empregados, bem como a relação tradicional entre empresa e funcionário.

O tribunal decidiu que, embora a Uber tenha dito que é apenas uma plataforma de tecnologia que conecta motoristas com passageiros, a empresa se comporta mais como um empregador, definindo tarifas, atribuindo viagens, exigindo que os motoristas sigam certas rotas e usando um sistema de classificação para disciplinar os motoristas.

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

catorze − 7 =