Imigração suspende operação de deportação durante atual crise de saúde

Marcony Almeida

ICE

As autoridades de imigração americana suspenderão temporariamente as deportações, exceto para aqueles que cometeram crimes ou que representam uma ameaça à segurança pública do país. A mudança ocorre em meio ao surto de coronavirus, e visa limitar a disseminação do vírus e incentivar aqueles que precisam de tratamento a procurar ajuda médica.

A Imigração e a Alfândega (ICE, em inglês) informou , essa semana, que sua divisão de Operações de Imposição e Remoção “atrasará as ações de fiscalização” e usará “alternativas à detenção” em meio ao surto, de acordo com uma notificação enviada pela agência ao Congresso.

O órgão informou aos membros do Congresso que suas “maiores prioridades são promover atividades de salvamento e segurança pública”. “Durante a crise do COVID-19, o ICE não executará operações de fiscalização em ou perto de estabelecimentos de saúde, como hospitais, consultórios médicos, clínicas de saúde credenciadas e instalações de atendimento emergencial ou urgente, exceto nas circunstâncias mais extraordinárias” a notificação dizia. “Os indivíduos não devem evitar procurar assistência médica porque temem agentes de imigração”.

A agência, que faz parte do Departamento de Segurança Interna, não respondeu imediatamente a perguntas da imprensa sobre quantos dos aproximadamente 37 mil detidos que ela tem em custódia permanecerão presos. Quase 20 mil sob custódia do ICE têm algum tipo de histórico criminal, mas ainda não está claro quantas dessas pessoas têm violações criminais graves no passado.

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

dois × quatro =