EUA exigirão comprovante de vacina para liberar entrada de estrangeiros

Fabiano Latham

Travel

Pela primeira vez desde os primeiros dias de pandemia, os Estados Unidos adotarão um novo sistema que permitirá receber visitantes estrangeiros vacinados de dezenas de países. A administração Biden exigirá que todos os viajantes internacionais que venham aos Estados Unidos estejam totalmente vacinados e testados para Covid-19. O Brasil é um dos países que estão na lista de nações liberadas para visitação.

A partir do início de Novembro, os estrangeiros terão permissão para voar para os EUA se estiverem totalmente vacinados e puderem apresentar prova de vacinação antes de embarcar em um voo com destino aos EUA, segundo o coordenador da Casa Branca da Covid, Jeffrey Zients.

A exigência irá aliviar as restrições de viagens que limitaram a entrada nos EUA em muitos casos para não cidadãos que estiveram recentemente em 33 países, incluindo muitas nações europeias e Reino Unido, independentemente do status de vacinação. Mas para os viajantes fora desses países, o novo sistema vai colocar requisitos mais rígidos, o que pode ser uma barreira para aqueles que vivem em países onde as vacinas são escassas.

“Mudaremos para esse sistema global muito mais rígido, então teremos uma abordagem consistente em todos os países, o que exigirá que os estrangeiros sejam vacinados e provem isso passando pelos regimentos de teste e rastreamento de contato, disse o coordenador.

Os EUA também começarão a colocar em prática requisitos de testes adicionais. Os estrangeiros terão que ser testados três dias antes da partida para os EUA e apresentar prova de um teste negativo. Os americanos não vacinados terão que fazer o teste um dia antes da partida e serão obrigados a fazer o teste novamente após sua chegada.

O CDC também exigirá que as companhias aéreas coletem informações de cada viajante com destino aos EUA, incluindo seu número de telefone e endereço de e-mail, para ajudar as autoridades de saúde pública no rastreamento de contatos. Embora ainda não haja exigência de vacinação para viagens aéreas domésticas, Zients disse que nada está fora de questão.

“Temos claramente um histórico que mostra que estamos puxando as alavancas disponíveis para adquirir vacinas e não estamos tomando nenhuma medida com autoridades específicas usadas para a implementação”, disse ele.

Zients não detalhou quais vacinas se qualificam e o que constituiria uma vacinação completa e disse que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças forneceriam mais detalhes. A nova política se aplica apenas a viagens aéreas e não a travessias de fronteiras terrestres, que foram fechadas para viagens não essenciais entre o Canadá e o México.

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *