Congresso americano debate ajuda econômica. Veja quem se beneficia

Marcony Almeida

Senate

O congresso americano está prestes a votar num plano econômico de emergência para conter a crise financeira originada pelo COVID-19. A legislação foi aprovada no senado e agora segue para a câmara que incluirá ajuda financeira para empresas e contribuintes americanos.

Acompanhe um resumo das principais medidas da lei:

– US$ 500 bilhões para um programa de liquidez corporativa através do Federal Reserve

– US$ 367 bilhões para um programa de empréstimos para pequenas empresas

– US$ 150 bilhões para governos estaduais e locais

– US$ 100 bilhões para hospitais

– US$ 30 bilhões em financiamento para educação de emergência

– US$ 25 bilhões em financiamento de trânsito de emergência

– US$ 25 bilhões em ajuda financeira às companhias aéreas

– US$ 4 bilhões para transportadoras de carga aérea

Além disso, o texto em votação inclui:

– Cria um “crédito fiscal de retenção de funcionários” para incentivar as empresas a manter os trabalhadores na folha de pagamento durante a crise;

– O seguro-desemprego seria fortemente reforçado por quatro meses, aumentando os pagamentos e estendendo os benefícios àqueles que normalmente não se qualificam, como trabalhadores em atividades econômicas informais, funcionários com licença, e freelancers;

– Um cheque único de US$ 1.200 para contribuintes com renda anual de até US$ 75 mil para indivíduos. Casais que ganham US$ 150 mil receberiam US$ 2.400 com US$ 500 adicionais por filho. Uma quantia reduzida seria dada àqueles que ganham mais de US$ 75.000 com um limite de renda de US$ 99.000 para indivíduo ou US$ 198 mil para casais.

Termos

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

cinco × três =