Boston vai exigir prova de vacinação para o comércio

Marcony Almeida

ago

Clientes e funcionários em espaços internos em Boston – incluindo restaurantes, bares, boates, academias e locais de entretenimento – precisarão provar que estão vacinados contra COVID-19 a partir do próximo mês, de acordo com anúncio, hoje, da prefeita Michelle Wu, marcando uma grande mudança da prática atual na cidade.

Wu, que também endureceu a política de vacinas para funcionários municipais, foi acompanhada no anúncio por líderes municipais de Salem, Somerville e Brookline. O escritório da prefeita disse que essas comunidades, junto com Arlington e Cambridge, também estão trabalhando para promover seus próprios requisitos de vacinas. “Esta região exige que Boston dê passos importantes e que todos nós trabalhemos juntos como uma comunidade entre as comunidades”, disse Raul Fernandez, membro do Select Board de Brookline.

O anúncio veio cinco dias depois que a Comissão de Saúde Pública de Boston anunciou os primeiros casos confirmados da variante omicron do COVID-19 na cidade, em três jovens adultos com mais de 18 anos, que não foram vacinados e apresentaram sintomas leves e sem necessidade de hospitalização.

“Esta etapa ajudará a aumentar nossos números de vacinação, que sabemos ser a melhor maneira de manter nossa comunidade segura e próspera”, disse Wu. “Embora as taxas de vacinação de Boston tenham sido altas, continuamos a ver graves disparidades por raça e idade, permitindo que o omicron e outras novas variantes se espalhem em nossas comunidades. As vacinas são a ferramenta mais poderosa no combate a esta pandemia, mais uma vez, para nos permitir a recuperação como cidade e para estarmos verdadeiramente juntos”.

A Diretora-Executiva do BPHC, Dra. Bisola Ojikutu, disse que o número de casos COVID-19 em Boston aumentou quase 90% em comparação há duas semanas, com a cidade agora tendo uma média de 369 novos casos por dia. Ela disse que os recursos dos hospitais são “escassos”, e que cerca de dois terços das pessoas hospitalizadas com COVID-19 na cidade não foram vacinadas.

Ojikutu, que emitiu a ordem estabelecendo a política de prova de vacina, projetou que o número de casos na cidade “aumentará significativamente”, em janeiro, com base na transmissibilidade da variante omicron.

A nova ordem em Boston começa com restaurantes, fitness e estabelecimentos de entretenimento em ambientes fechados, chamada de iniciativa B Together,  onde os trabalhadores e clientes com idade igual ou superior a 12 anos deverão apresentar prova de pelo menos uma dose da vacina COVID-19, a partir de 15 de janeiro.

A prova de vacinação completa – os formulários aceitáveis ​​incluem o cartão de vacinação do CDC, uma foto do cartão, “qualquer registro oficial de imunização ou imagem digital de uma farmácia ou provedor de cuidados de saúde, ou em qualquer aplicativo de verificação de vacina COVID-19” – será exigido para aqueles com 12 anos ou mais a partir de 15 de fevereiro.

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Leave a Reply

Your email address will not be published.