Governo pede doação de sangue em meio a surto

Marcony Almeida

ago

O governador Charlie Baker fez um apelo, nesse ultimo fim de semana, para que os residentes de Massachusetts doem sangue, chamando a prática uma maneira de salvar vidas, à medida que o estado se esforça para impedir que seu sistema de saúde fique sobrecarregado pelas pressões da pandemia de coronavírus.

A visita que Baker fez ao lado da primeira-dama Lauren Baker ao centro de doações da Cruz Vermelha, em Dedham, foi sua primeira aparição na mídia desde que a comissária de saúde pública, Dra. Monica Bharel, anunciou sexta-feira à noite que havia testado positivo para COVID-19. Bharel disse que estava com sintomas leves e que trabalha remotamente enquanto se recupera em casa.

A verificação da temperatura antes da doação é uma precaução que os funcionários da Cruz Vermelha disseram que estão tomando para garantir doações seguras, juntamente com os esforços de distanciamento social entre doadores e entre doadores e funcionários.

Lauren Baker, que atua no conselho de administração da Cruz Vermelha de Massachusetts, disse que centenas de doações de sangue precisam ser coletadas todos os dias para atender às necessidades dos hospitais do estado. “Se você é saudável e quer fazê-lo, por favor, não tenha medo”, disse ela. “Por favor, marque uma consulta, doe sangue. Todo esforço ajuda”, disse a primeira-dama.

Os doadores em potencial podem visitar o site da Cruz Vermelha, preencher um questionário e, se qualificar, marcar uma consulta em um site de doação local. Qualquer pessoa que viajou para a China, Irã, Itália ou Coréia do Sul, ou teve contato com uma pessoa que tem o coronavírus, será solicitada a adiar sua doação por 28 dias.

Com a maioria dos locais de trabalho, escolas, centros comunitários e outros locais que normalmente hospedariam unidades de sangue agora fechados, Holly Grant, CEO da Cruz Vermelha de Massachusetts, disse que existem 300 mil unidades de sangue que não foram coletadas nacionalmente por causa do coronavírus. Cada unidade de sangue pode salvar até três vidas.

Em Massachusetts, ela disse que o número de doações não coletadas “está entre 5.500 e 6 mil”. “Mas, à medida que avançamos, sabemos que haverá menos pessoas que poderão doar por causa do coronavírus, por isso estamos trabalhando árduo para garantir e convidar as pessoas saudáveis ​​a sair e doar, porque sabemos que estaremos nessa situação não só agora, mas nas próximas semanas e meses”, disse Grant.

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

2 × três =