Estudo mostra que tráfego na área de Boston piorou em 2023

Wilson Smith

Transito

De acordo com um estudo anual da INRIX, uma empresa de análise de transporte, o motorista de Boston passou em média 88 horas preso no trânsito em 2023, 10 a mais que no ano anterior. Mesmo sendo uma das dez cidades com melhor trânsito do mundo, o agravamento dos atrasos colocou Boston entre as cinco cidades mais congestionadas dos Estados Unidos, segundo a INRIX.

Anteriormente, a INRIX descobriu que o motorista de Boston tinha perdido 134 horas no trânsito em 2022. Mas, neste ano, a empresa mudou sua metodologia para coletar dados sobre mais rodovias, uma vez que os padrões de viagem mudaram desde a pandemia, e recalculou seus dados a partir de 2019 usando uma cobertura maior da rede rodoviária, disse Bob Pishue, analista de transporte da INRIX.

“O que vocês acham é que há muitas viagens sendo feitas pela região. Anteriormente era muito mais focado no centro da cidade do que de subúrbio para subúrbio. Também estamos detectando alguns desses padrões de deslocamento”, disse Pishue.

A cidade mais congestionada dos EUA em 2023, de acordo com o scorecard do INRIX, foi Nova York, com o nova-iorquino perdendo 101 horas no trânsito, seguido pelos habitantes de Chicago, que perderam 96 horas, e Los Angeles, que perderam 89 horas. O INRIX constatou que Boston ficou em quarto lugar entre as cidades dos EUA, com atrasos quase tão graves quanto antes da pandemia. Cerca de 40% das áreas urbanas dos EUA atingiram ou ultrapassaram os níveis de tráfego pré-pandemia.

Globalmente, Cidade do México, Londres, Paris, Istambul, Cidade do Cabo e Jacarta estão competindo entre as 10 cidades mais congestionadas. Na Grande Boston, a Interestadual 93 Sul, entre a Ponte Zakim e a Pilgrim’s Highway, foi disputada entre os 10 corredores mais movimentados dos EUA, ficando em sétimo lugar.

De acordo com Pishue,  em comparação com antes da pandemia, mais pessoas viajam no meio do dia em Boston e nos Estados Unidos em geral. Em 2019, houve um grande aumento nas viagens que duravam até 7h e outro nas viagens que duravam até às 15h. Mas agora o tráfego é constante da manhã até o fim da tarde, eliminando os períodos tradicionais de pico de viagens. “É aí que está a demanda agora, não apenas no deslocamento matinal”, finalizou Pishue.

As estratégias para tirar mais pessoas em Boston dos seus carros e colocá-los no transporte público estagnaram, uma vez que o serviço T continuou muito menos frequente do que antes da pandemia. E ideias há muito discutidas para ajudar a reduzir as viagens de carro, como a tarifação do congestionamento, não avançaram em Beacon Hill.

De acordo com dados fornecidos pelo TA, a MBTA oferece cerca de 13% a 14% menos viagens em seu serviço regular de ônibus e metrô durante a semana nesta primavera do que na primavera de 2019, antes da pandemia. Os passageiros realizaram apenas 64% das viagens em março deste ano do que em março de 2019, de acordo com dados do T.

Termos

Compartilhe

ADVERTISE

Nossa Revista

V12 - 2019 | Nº 78
V12 - 2019 | Nº 78

REDES SOCIAIS

Últimas Notícias