Doenças sexualmente transmissíveis aumentam rapidamente à medida que as precauções diminuem

Wilson Smith

BMC

À sombra da crise da varíola dos macacos, as doenças sexualmente transmissíveis surgem como uma ameaça silenciosa, e vem se espalhando pela população dos EUA. Esse tipo de patologia, que diminuiu nos primeiros meses da pandemia, ressurgiu, superando níveis que já estavam subindo antes de 2019.

Os dois surtos têm causas distintas, mas sobrepostas, incluindo pessoas envolvidas em comportamentos mais arriscados depois de ficarem presas por tanto tempo na pandemia, bem como um declínio no uso de preservativos, à medida que mais pessoas tomam medicamentos que podem reduzir o risco de contrair o HIV.

“Eu nunca vi tanta sífilis como estou vendo agora”, disse à mídia, a Dra. Mireya Wessolossky, especialista em doenças infecciosas da UMass Memorial Health em Worcester, que trata pacientes de infecções sexualmente transmissíveis há 27 anos.

De acordo com um relatório recente dos  Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), há um aumento exponencial das DSTs, particularmente gonorreia, sífilis e sífilis congênita, bem como bebês nascidos com a infecção da mãe.

O CDC informou que em todo o país os casos notificados de gonorreia aumentaram 10% em 2020, enquanto os casos notificados de sífilis aumentaram 7% no mesmo ano. Dados iniciais de 2021 indicavam que a sífilis continuou a aumentar, com casos em mulheres aumentando 34%.

A pandemia desacelerou a coleta de informações, mas o CDC disse que os dados em 2021 indicam que “O impulso implacável de doenças sexualmente transmissíveis continuou, mesmo quando os serviços de prevenção de DST foram interrompidos”, conclui a nota do órgão.

Em Massachusetts, os dados mais recentes são de 2020 e mostram que os casos de gonorreia em mulheres aumentaram 20% de 2019 a 2020, elevando o número de casos para 2.544. Os dados de 2020 ainda mostram que 11% das pessoas diagnosticadas com uma infecção sexualmente transmissível tiveram mais de uma infecção desse tipo. Entretanto, o departamento de saúde disse que os números devem ser interpretados com cautela devido ao impacto da pandemia na coleta de dados.

Dra. Cassandra Pierre, médica do Boston Medical Center, informou que identificou “O aumento mais notável de infecções sexualmente transmissíveis em todas as faixas etárias, incluindo novos diagnósticos de HIV em pessoas com mais de 50 anos, esse fato está acontecendo em todas as preferências sexuais”, finalizou Drª Cassandra Pierre.

 

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp