O humano e a transgressão

Transgressão, de acordo com o Minidicionário Aurélio, é o ato ou o efeito de transgredir, infligir ou violar. O primeiro ato de transgredir do qual tenho conhecimento foi-me ensinado pela Bíblia. Estudei em colégio religioso, Católico. Também venho de uma família que professa a fé Católica, e desde muito cedo fui exposta a essa religião e seus ensinamentos de fé, morais e éticos.

A história bíblica que li posteriormente, já adulta, fala de Lilith, a primeira mulher de Adão que veio antes de Eva. De acordo com os evangelhos gnósticos, escritos à mão, guardados e escondidos no Vaticano, Deus criou Adão e Lilith, ambos do pó.  Lilith não aceitava a condição de ser submissa a Adão, até porque eram feitos da mesma matéria. Lilith se rebelou e a revolta surgiu por causa do ato sexual, pela condição de ter que se deitar e ficar embaixo de Adão. Portanto, Lilith transgrediu ficando contra a vontade de Deus e decidiu abandonar o Jardim do Éden. Adão ficou solitário, muito triste e suplicou a Deus por uma nova companheira. Deus enviou então três anjos para trazerem Lilith de volta: Sanvi, Sansavi e Samangelaf, mas Lilith se recusou a retornar. Deus então resolveu criar Eva, de uma costela de Adão.

Existem trechos na Bíblia que dão pistas sobre a existência de Lilith. Em Genêsis 2:23, está escrito “E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada”. Lilith está presente em várias culturas, e sua história é muito conhecida no meio hermético judaico. Ela é estudada em diversas obras da literatura. Lilith aparece como um demônio noturno na crença tradicional judaica e islâmica, e como um espírito feminino vingativo em outras culturas como a hebraica.

Continuando com o nosso tema sobre a Transgressão, veio Lilith em forma de serpente persuadir Eva a comer o único fruto proibido do Jardim do Éden, e foi assim que Adão e Eva foram expulsos do Paraíso e o restante da história, já sabemos. A Transgressão também conhecida na religião católica como o Pecado Original, faz parte da nossa vida, como humanos, tanto quanto o desejo e gozo pela transgressão ou violação das leis.

Ainda procurando entender a Transgressão  nos escritos de Freud, já que existe o dito popular de que “Freud explica”, aprendi que os desejos instituais nascem em todas as crianças, portanto humanos, e para evitarmos o canibalismo, o incesto e a ânsia de matar tivemos que criar proibições  frustrações  e regulamentos sociais. Proibições surgiram com a finalidade de reprimirmos os nossos impulsos para podermos conviver com outros humanos como membros de comunidades. “Numa carta à Fliss, em 14 de novembro de 1897, Freud escreveu que frequentemente suspeitou que algo orgânico desempenhou um papel de repressão.

Sem a repressão ou frustração dos nossos instintos, a humanidade estaria extinta. Freud escreveu ainda, “Acho que se tem de levar em conta o fato de estarem presentes em todos os homens tendências destrutivas e, portanto anti-sociais e anticulturais, e que num grande número de pessoas essas tendências são suficientemente fortes para determinar o comportamento delas na sociedade humana”.

Enfim, sintetizando, acredito que o “humano” criado por Deus que deveria ser de acordo com “Sua imagem e semelhança” também veio com o que chamarei de “defeito de fabricação”,  mais se parecendo com Lúcifer. Lúcifer é conhecido em algumas religiões como o anjo que se rebelou ou transgrediu contra Seu criador, o anjo caído, que perdeu seu brilho, ou ainda o Diabo e pai de todos os demônios. Em alguns textos na Internet encontrei Lucifer também traduzido como Estrala da Manhã. O fato é que, acredito que devemos ficar atentos ao nosso “gozo”, que advém das transgressões das leis, que possibilitam a nossa perpetuação no planeta Terra.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on email
Share on whatsapp

P.O. Box 490543
Everett, MA 02149

Publicidade e Anúncio

© Copyright 2017 | Brazilian J. Magazine
All rights reserved