Minhas dicas para mulheres que moram sozinhas

Zenita Almeida

ALONE

Tom Jobim, o mais famoso cantor e compositor brasileiro, disse: é impossível ser feliz sozinha. Mas hoje talvez ele precisasse refazer o verso. O número de pessoas morando sozinhas não para de crescer no mundo todo. No Brasil, o grupo mais do que triplicou em 20 anos e hoje já soma 2,4 milhões de pessoas, entre homens e mulheres, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. E, ao contrário do que o poeta temia, parecem curtir a própria companhia.

Muitas mulheres adoram ser livres para conhecer pessoas, lugares e fazer tudo o que tem vontade sem precisar da anuência ou permissão de ninguém. A não ser dela mesma e do seu orçamento. Só que mesmo a mais independente das mulheres tem que lançar mão de algumas estratégias, e de certo planejamento para não ficar tão à mercê das surpresas (boas ou nem tanto) do destino.

E aqui eu sugiro algumas dicas para aquelas que como eu, fez a opção de morar sozinha, mais ainda com os números de feminicídios assustadores apontados pelas estatísticas.

Fora de casa

Previna-se contra emergências e relaxe. Tenha no seu celular uma listinha SOS, com o telefone da portaria, do zelador, e de amigos para qualquer emergência. Deixe a chave de casa com uma pessoa de sua confiança e que, de preferência, more perto, caso precise de um socorro ou perca sua chave. Telefone de alguns vizinhos legais é sempre bom ter, mas não seja abusada. Deixe para chamar apenas quando realmente for necessário. Outros telefones úteis para ter na porta da geladeira: farmácia com plantão noturno, padaria, ponto de táxi, aplicativo do URB, hospital, lavanderia, sapataria e costureira. Se você tiver um animal de estimação, marque também o número do veterinário e do pet shop.

Quem disse que ir a um restaurante sozinha é constrangedor?

Desde que os smartphones invadiram o mundo, ninguém nunca mais ficou sozinho. Nem mesmo naquele jantar que tinha tudo para ser solitário. Enquanto você espera a comida, aproveite para navegar, dar uma olhadinha nas redes sociais e até fazer uma invejinha para os amigos, comentando sobre o prato e o vinho deliciosos que está saboreando. O celular virou uma companhia.

Arrume um amigo “mano”

Não é coisa de novela, pode ser um primo, um irmão, um amigo de infância, mas é bom poder contar com alguém do sexo masculino que esteja completamente blindado contra seduções (se não você nunca vai ficar realmente à vontade com ele). Alguém que aguente ver você beijando outro homem, que eventualmente cuide de você naquelas horas em que o salto do sapato quebra e você quebra junto e que diga que você é linda de um jeito que só os homens (amigo irmão) conseguem dizer. Alguém para entrar num casamento com você com elegância, alguém que seja a melhor companhia do mundo!

Crie uma estratégia para conhecer alguém

Quer conhecer alguém? Não vai ser no cinema, teatro nem em outros programas culturais. Os melhores terrenos para uma azaração são os bares, baladas e programas esportivos, que estão super em alta. Por incrível que pareça, é preciso achar no meio da balada aquele cara que está no museu e no teatro. Porque no museu e no teatro, o approach é muito raro. Então, pode ser que você dê sorte. Mas aumente suas chances filtrando na noite. Você não tem ideia do que pode acontecer num balcão de bar na balada que não pode acontecer num salão de museu. O professor Sam Sommers, autor do livro Situations Matter (A importância do contexto, numa tradução livre) sugere uma alternativa, caso baladas não sejam o seu forte. Para ele, “encontrar as pessoas com regularidade aumenta o apelo e facilita a aproximação”, portanto, capriche quando sair do apartamento e for pegar o elevador e olhe ao redor ao comprar um pãozinho na padaria.

Planeje suas refeições para não arranjar desculpas e se entupir de ‘porcaria” Poucas coisas parecem tão complicadas para uma mulher sozinha quanto administrar refeições. Cozinhar para uma única pessoa dá uma preguiça danada. Haja resistência para não cair de boca naquele pacote de bolacha guardado no armário. Para evitar que isso aconteça você vai precisar de um pouco de planejamento semanal. Monte um cardápio para uma semana e coloque na lista alimentos saudáveis e fáceis de fazer. De preferência, antecipe o seu jantar antes de sair para trabalhar, assim, quando chegar, a refeição ficará pronta mais rapidamente.

No supermercado, opte por porções pequenas de frutas e verduras e compre itens de limpeza de preferência para o mês inteiro.

Os supermercados estão cheios de itens para você que é solteira, como caixinhas com apenas seis ovos, pão de forma em mini embalagens e arroz em saquinhos individuais. Ponha no carrinho ingredientes fáceis de combinar e que ajudem você a improvisar: como massa integral de pizza para frigideira, creme de ricota, queijo branco, mussarela light, peito de peru, polpas de fruta como acerola, abacaxi e maracujá. Detesta cozinhas? Procure uma dessas casas que vendem refeições individuais congeladas, do tipo que você coloca no forno ou no micro-ondas e pronto. Comer em restaurantes self service é outra boa alternativa.

Invista em eletrodomésticos modernos, silenciosos e pequenos. Geladeira, micro-ondas, máquina de lavar, sanduicheiras e fornos elétricos são itens que não podem faltar na vida de uma mulher sozinha. No forno elétrico você prepara empanados de frango ou esquenta rapidinho aquele pedaço de pizza ou torta. Seja esperta e escolha os modelos menores, são mais fáceis para limpar e levam menos tempo para preparar os alimentos, além de serem mais adequados ao tamanho da sua casa e, eventualmente, do seu bolso sanduicheiras são legais para fazer queijo coalho, filé de frango ou carne, legumes grelhados ou sanduíches de queijo branco com pão integral.

 

Crie uma rede de resgate. Bateu a solidão? Consulte sua “rede de resgate”, aquelas pessoas com quem você sabe que pode contar a qualquer hora do dia ou da noite, sua melhor amiga, sua mãe, irmã, aquele amigo que deixa você super à vontade.

 

Cultive pequenos grandes prazeres. Descubra alguma coisa que dê prazer, como ler, tirar fotografias, fazer artesanato ou cuidar do seu bichinho de estimação ou de uma dúzia de orquídeas penduradas na janela. Não tem um pet? Adote um. Na internet você encontra sites de ONGs que doam animais. Além de levar pra casa um mascote fofinho, você ainda faz uma boa ação e pode fazer novos amigos.

Aproveite sem receios, você vive na era da internet, graças a Deus! Distraia-se nas redes sociais, salas de chats e com jogos online. Comece a escrever um blog, pesquise sobre seu assunto favorito, entre em contato com autores que você ama. Pegue seu tablet e procure pelos seus amigos. Com os serviços de geolocalização você encontra sua turma rapidinho.

Não fique esperando que alguém tire você da fossa. Faça você mesma! Não fique curtindo a solidão e lamentando, porque ninguém quer gente triste e chorona por perto. Para driblar a solidão: cinema (assistir a um filme sozinha pode fazer milagres); ligar para alguém com quem faz tempo que não conversa (não para se lamentar, e sim para matar as saudades); ler (leitura é uma enorme terapia); sair da dieta e comer o que tem vontade pelo menos nesse momento (uma barra de chocolate faz uma revolução quando você está sozinha) e dar uma volta no shopping (pode parecer fútil, clichê ou coisa de novela, mas comprar alivia a solidão). Mas cuidado: se estiver triste demais, evite, porque pode gastar além do que você pode.

Segurança é problema seu. Lembre-se, você não é a Mulher Maravilha. Por isso, fique sempre atenta à segurança. Por ser fisicamente menos forte, a mulher se torna uma presa mais fácil para a violência, em todos os sentidos. Mantenha a sua integridade física com uma postura firme e cuidadosa.

Algumas recomendações básicas:

Nunca beba a ponto de perder a consciência ou o controle dos seus atos

Combine com seus amigos e criem junto o hábito de fazer um check in informando aonde cada um vai e avisando que voltaram sãos e salvos para casa. Não precisa nem ser por telefone, SMS é alternativa até menos invasivas.

Não saia por aí falando para todo mundo que mora sozinha

Não leve estranhos para sua casa. Se for essencial, mantenha um amigo ou amiga ciente dos seus planos.

E não custa nada andar sempre com o celular carregado e recorrer aos serviços daquele taxista de confiança, combinado.

Termos

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

8 + 13 =