Ego inflado: não deixe ele arruinar tudo

Fabiano F.

ego (1)

Na complexa tarefa de evolução pessoal, há um velho inimigo que fica sempre à espreita: o ego. Mesmo corrigindo comportamentos inadequados e se dedicando a boas ações, o ego está ali, presente, seduzindo-nos para fazer acreditar que somos muito melhores e maiores do que na realidade somos.

O ego não é exclusivo de uma classe ou tipo de pessoa. Ocupa todos os lugares e se manifesta o tempo inteiro. Está disfarçado no discurso de empoderamento, está nas postagens das redes sociais, nas entrelinhas da rotina de trabalho e inclusive nas relações mais íntimas.

A psicologia explica: o ego nos faz acreditar na ilusão que criamos para fugir de nossas próprias fraquezas. Funciona como mecanismo de defesa contra ataques, desprezo e discriminação. Mas, quando exageramos, essa função se perde. Acuados, inflamos o peito, engrossamos a voz e nos dispomos irresponsavelmente a pagar um alto preço para mostrar uma força que nem sempre existe.

É comum usar algum grau de intelectualidade e poder econômico para estruturar e sustentar o ego. Quando não damos conta de lidar com a realidade como ela é, apelamos para o ego, que nos atende prontamente e ativa o que julgamos ser nosso poder interior. Há muita gente se enganando ao acreditar que tem autoconfiança e personalidade forte, quando na verdade só está dando vazão ao egocentrismo.

Ao não administrar o ego, corremos o risco de desenvolver uma crença doentia sobre a própria importância. Daí, é só um passo para agir com arrogância e ambição exagerada, o que torna o egocêntrico um ser petulante, de difícil convivência. Ninguém é tão imprescindível e importante assim: acredite.

Esse encorajamento ao ego tem resultado no afastamento das reais possibilidades de conexão com o outro. O ego manifestado até nas pequenas atitudes do cotidiano bloqueia a essência e nos influencia a dar importância para tudo o que é inútil e que nada agrega. Também não respeita as diferenças e toma para si todo o crédito, com uma ânsia voraz de sempre estar certo e vencer.

Preste atenção na quantidade de decisões equivocadas que já tomou ao longo da vida. A maioria delas estava alicerçada no ego e na necessidade insana de achar que se colocando acima de tudo e de todos seria o melhor caminho.

Traiçoeiro, o ego impede o crescimento, justamente porque nos faz crer que já atingimos o patamar ideal de pensamento e ação. Sem falar que deixa uma coleção de inimigos pelo caminho.

Outra face do ego é criar um pódio imaginário, em que nos colocamos como troféus. O egocêntrico passa a impressão de que só ele é capaz e que todos ao seu redor não se esforçam nem são bons o bastante para chegar onde ele chegou. Que pena… Quanto tempo perdido com a distorção da realidade.

Só a humildade e o discernimento são capazes de domar o ego. Quando finalmente enxergamos a superficialidade que ele produz, damos-nos conta do quanto é mais fácil ser autêntico. Com o ego sob controle, um novo mundo se abre e nada mais precisa ser gigante ou espetacular. Não é mais preciso buscar autoafirmação e reconhecimento a todo custo. Ao enxergar o próprio ego e tomar atitudes para não cair em suas armadilhas, aproximamo-nos de um sentido mais claro para a vida. E aí, está pronto para este desafio?

 

Fabiano F. é jornalista e autor de livros de autodesenvolvimento, como o livro “Enfrente”, de onde este texto foi extraído. Email: fabianoescritor@gmail.com

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp