Seu Nome, Sua História

Os humanos necessitaram de um sobrenome como diferencial nas comunidades. Pesquisas indicam que os sobrenomes foram inicialmente usados pela nobreza e pelos latifundiários. Posteriormente, com o crescimento populacional e a necessidade de identificação exata dos indivíduos em documentos, comerciantes e plebeus aderiram a pratica de utilização de um sobrenome.

Para a adoção dos sobrenomes, levava-se em consideração a ocupação do indivíduo como por exemplo carpinteiro, ferreiro, jardineiro, médico ou pescador. Outra possibilidade seria a localidade onde morava, ou as honrarias recebidas. Ainda eram utilizadas as  características físicas, tais como  baixo, alto, o que hoje seria caracterizado como bulling ou politicamente incorreto.  Muitas vezes a religião era uma escolha para um sobrenome.  Consta que os chineses foram os primeiros a usarem a prática dos sobrenomes por volta de  2852 a.c. Portanto, seu nome é sua marca no mundo, a sua história.

O sobrenome ou o Nome de Família tem uma grande importância psicológica na estruturação de um indivíduo. O sobrenome define sua personalidade e jornada de vida, para o melhor ou para o pior. O indivíduo já existe antes do nascimento. Ainda no útero da mãe ele já tem um DNA, um gênero, um nome, sente as emoções através do corpo da mãe de alegria, preocupação, estresse ou rejeição. “Nossa existência precede nossa essência” (our existence precedes our essence) disse Ludwig Binswanger, cuja família era constituida de médicos psiquiatras da Bellevue Sanatorium, em Kreuzlinger, Switzerland (Boeree, 1997, Ludwig Binswanger, p. 3 Personality Theories). Acredito que para crianças nascidas e/ou criadas em orfanatos, a construção da própria história seja muito difícil.

Como exemplo de que seu nome carrega a sua história, vemos na nossa sociedade muitos filhos que seguem a mesma profissão e carreira dos pais ou de um parente consanguínio próximo. Podemos pensar que essa escolha seria por comodismo, por já encontrarem uma jornada pronta, ou também pela admiração e orgulho que sentem da familia. Por outro lado, vemos filhos que seguem caminhos opostos, uma atitude conhecida como Formação Reativa, explicada nos escritos de Freud, que é um mecanismo de defesa inconsciente, para esconder ou encobrir algo indesejado, adotando assim a posição oposta.

De uma maneira ou de outra, sua marca no mundo ou sua história ninguém poderá escrever ou apagar, além de você. Sua vida, quem você é, pode ser determinada pelo seu nome de família, genética, religião ou grupo social, mas essas entidades fornecem ou forneceram apenas as “ferramentas”. Quem você é ou será, dependerá das suas escolhas usando as “ferramentas” que recebeu do grupo. Portanto, você é único! Só existe um de você! Cuide-se bem!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on email
Share on whatsapp

P.O. Box 490543
Everett, MA 02149

Publicidade e Anúncio

© Copyright 2017 | Brazilian J. Magazine
All rights reserved