Legisladores questionam governo sobre universidade falsa usada para prender imigrantes

Marcony Almeida

ago (15)

A senadora Elizabeth Warren (D-Mass.) e o vice-presidente do Comitê de Educação e Trabalho da Câmara, Andy Levin (D-Mich.), enviaram carta ao Departamento de Educação e à Comissão de Credenciamento de Escolas e Faculdades (ACCSC) sobre seus respectivos papéis no credenciamento da Universidade de Farmington em Michigan, uma universidade falsa criada pelo Departamento de Segurança Interna (DHS) para prender estudantes estrangeiros.

Em janeiro de 2019, mais de 250 estudantes que entraram nos EUA com visto de estudante legal descobriram que a suposta universidade não oferecia aulas, não tinha instrutores e não cumpria nenhuma das promessas feitas em seus materiais de marketing. Era tudo uma armadilha do Departamento de Imigraçāo. Esses estudantes agora enfrentam deportação e uma proibição vitalícia de entrar no país.

Inúmeros relatórios e documentos judiciais divulgados recentemente revelaram que o DHS criou várias universidades falsas credenciadas pelo ACCSC como parte de uma operação de aprisionamento direcionada a estudantes estrangeiros. O ACCSC desempenhou um papel fundamental ao enganar e listar publicamente as universidades falsas como credenciadas, o que levou pelo menos alguns estudantes em potencial a acreditar que estavam se matriculando em uma universidade real.

“Essas ações comprometem a credibilidade da ACCSC como credenciadora e a legitimidade do sistema de ensino superior dos EUA como um todo”, escreveram os legisladores na carta à ACCSC. “É profundamente injusto e irresponsável falsificar as informações de credibilidade que os estudantes podem e devem usar para avaliar suas opções educacionais antes de fazer investimentos financeiros significativos em sua educação”.

Além das prisões feitas na Universidade de Farmington, e-mails recentemente publicados revelam que funcionários do Departamento de Educação e do Conselho de Política Doméstica da Casa Branca (DPC) se envolveram em discussões sobre o status de um credenciador problemático separado, o Conselho de Credenciamento de Faculdades Independentes e Escolas (ACICS), e o programa Student and Exchange Visitor Program (SEVP) do Departamento de Imigração. 

“Enquanto essas atividades anti-imigrantes estavam em andamento, funcionários de alta patente do Departamento de Educação estavam discutindo com o Conselho de Política Doméstica da Casa Branca a respeito do status do ACICS e do programa SEVP”, escreveram os legisladores na carta à secretária de Educação, Betsy DeVos. 

Os legisladores solicitaram respostas às suas cartas até 28 de janeiro de 2020.

Termos

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

dezessete + dezesseis =

Fechar Menu