Comércio prevê crescimento de 10% nas compras de fim de ano

Wilson Smith

FIM (1)

A inflação alta e a conversa sobre recessão não parecem está diminuindo o fluxo de compras para o fim de ano. A Associação de Varejistas de Massachusetts na manhã de sexta-feira previu um aumento de 10% das vendas locais nas compras de fim de ano. A previsão é baseada em uma pesquisa com membros da associação, que contrasta com uma previsão com um aumento de 6 a 8% nas vendas para os feriados nacionais.

“Estamos pedindo aos consumidores de Massachusetts que pensem sobre a forma como investem seus dólares, pois esse aquecimento no mercado faz uma grande diferença na economia local. Pedimos aos consumidores que se comprometam a investir uma boa parte de seus orçamentos em nossas comunidades”, disse o presidente da RAM, Jon Hurst.

As vendas para a temporada de compras em 2021 aumentaram 16% em Massachusetts e 14% em todo o país devido à demanda reprimida do COVID, informou a associação.

Números divulgados na manhã de quinta-feira mostram que a inflação dos EUA subiu 7,7% no ano em outubro, abaixo do aumento de 8,2% ano a ano relatado em setembro, e a RAM disse que os varejistas também estão sentindo a pressão da inflação nos gastos com estoque, salários e energia.

“Um aumento de vendas projetado de 10% em relação ao ano anterior deixa pouca margem para erro ou aumento da lucratividade, dada a taxa de inflação de 8%”, disse Hurst.

A saúde do varejo é importante nas principais ruas do Estado, onde as lojas oferecem uma base para o comércio e o desenvolvimento da comunidade, mas também para as cerca de 600.000 pessoas que trabalham no setor, representando aproximadamente 17% de todos os empregos na região, segundo à associação, cujos 4.000 membros incluem “Varejistas e restaurantes de todos os tipos e tamanhos”.

A associação disse ainda que os gastos do consumidor em Massachusetts “Permaneceram relativamente fortes até agora”, com os membros relatando um aumento médio de vendas de 6% até agora. Mas, os varejistas estão vendo mudanças nos padrões de consumo do consumidor.

“As taxas de poupança do consumidor aumentaram durante o COVID e os níveis de dívida também caíram. No entanto, esses números estão se revertendo novamente, dada a taxa de inflação, e alguns vendedores relatam experiências de clientes que agora ‘compraram’ suas compras, mesmo que o número de transações continue em números positivos”, disse a associação. 

Hurst informou que 60% dos membros da associação relatam vendas online, em comparação com 26% durante a temporada de festas de 2019.

Termos

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp