Brazilian Magazine

Senado dos EUA rejeita projetos de reforma migratória

Proposta apoiada por Trump previa legalização de 1,8 milhão de imigrantes em troca de 25 bilhões de dólares para construção de muro e mais medidas para conter fluxo de ilegais. O Senado dos Estados Unidos fracassou em avançar nesta quinta-feira (15/02) qualquer legislação para proteger imigrantes “dreamers”, não alcançando os 60 votos necessários para avançar em quatro propostas, incluindo uma apoiada pelo presidente Donald Trump e dois projetos bipartidários.

A série de votações aconteceu após Trump criticar a principal proposta bipartidária como “uma catástrofe total” e a Casa Branca ameaçar vetar o projeto de lei, que havia sido considerado o mais provável para avançar no Senado profundamente dividido.

O resultado marcou uma semana de considerações no Senado de questões imigratórias e deixou no limbo a situação de 1,8 milhão de dreamers, os jovens adultos levados ilegalmente aos Estados Unidos quando crianças. Eles haviam sido protegidos de deportação por um programa do governo Obama que Trump quer encerrar até 5 de março.

A proposta apoiada por Trump recebeu o menor número de votos, levando democratas a reclamar que a abordagem descompromissada do presidente estava afundando esforços bipartidários no Congresso.

Trump disse que qualquer projeto de lei de imigração para proteger Dreamers deveria também incluir financiamentos para construir um muro na fronteira com o México, acabar com o programa de loteria de vistos e impor restrições sobre vistos para famílias de imigrantes legais. O financiamento do muro foi estimado em 25 bilhões de dólares (80 bilhões de reais).

Após o fracasso, alguns parlamentares e defensores de imigrantes prometeram buscar proteções temporárias para os dreamers. O senador republicano Bob Corker disse a repórteres que pode haver um debate sobre uma extensão de curto prazo para dreamers em um projeto de lei de financiamento do governo que o Congresso precisa aprovar até 23 de março para evitar uma paralisação.

 

Por Flávio Perez
flavio@brazilianmagazine.net
Direto da Redação / Por AP

Justiça dos EUA bloqueia ordem de Trump que deportaria mais de 800 mil imigrantes

O juiz do Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Nicholas Garaufis, emitiu a ordem judicial em Nova York. As deportações estão congeladas até que sejam resolvidas as “pendências sobre o mérito desses casos”.

“Por conseguinte, os réus devem continuar processando os pedidos iniciais do DACA e os pedidos de renovação do DACA nos mesmos termos e condições que se aplicaram antes de 5 de setembro de 2017”, observou o juiz. O processo foi movido por procuradores-gerais de 17 estados contra Trump e o secretário do Departamento de Segurança Interna, Kirstjen Nielsen.

O DACA é um programa criado pelo ex-presidente Barack Obama para proteger imigrantes que chegaram aos EUA ainda crianças. Eles são popularmente conhecidos como “Sonhadores” e a partir do ato assinado por Obama, ganharam o direito de morar e trabalhar legalmente no país desde que renovassem a permanência a cada dois anos.

Depois de assinar a ordem executiva que abria caminho para a deportação dos “Sonhadores”, Trump passou a usá-los como moeda de troca, aceitando mantê-los no país até consigam cidadania permanente desde que os Democratas aprovassem a construção do muro na fronteira com o México.

 

Por Flávio Perez
flavio@brazilianmagazine.net
Direto da Redação / Com informações AP

 

 

Juiz Federal da Califórnia bloqueia Trump de encerrar DACA

O juiz William Alsup, do Tribunal Distrital do Norte da Califórnia, decidiu nesta terça-feira à noite, que o programa DACA deve permanecer, bloqueando a tentativa do governo Donald Trump em setembro passado de encerrar o programa.

O juiz determinou que o governo deve “publicar um aviso público razoável” que retomará o recebimento dos pedidos de renovação da DACA. Isso significa que é requisitado reintegrar a renovação para jovens indocumentados protegidos pelo DACA. No entanto, pedidos de pessoas que nunca receberam ações diferidas antes “não precisam ser processados”. O juiz ainda qualificou de “arbitrária e caprichosa” a decisão que Donald Trump tomou de acabar com o DACA, que protege da deportação 800.000 indocumentados, conhecidos como ‘dreamers’ (‘sonhadores’), chegados aos Estados Unidos enquanto crianças.

O bloqueio à decisão de Trump em relação ao DACA, foi conhecido poucas horas depois do Presidente dos Estados Unidos ter se reunido com congressistas republicanos e democratas, para abordar uma solução para os milhares de ‘dreamers’.

 

Por Flávio Perez
flavio@brazilianmagazine.net
Direto da Redação