Dia Internacional da Mulher: Manifestações Feministas

Zenita Almeida

Se chorei ou se sorri o importante é que de emoções eu vivi. A letra dessa canção retrata bem a minha emoção de hoje assistindo os noticiários do mundo. Hoje eu chorei, sim, chorei de emoção vendo o mundo inteiro transmitindo as manifestações femininas por seus direitos de igualdade e contra o abuso sexual. Vi mulheres da Espanha pela primeira vez em greve geral batendo panelas pelos seus direitos. Vi a Prefeita da França circulada de mulheres discursando pelo abuso da violência doméstica e abusos sexuais, vi as mulheres da Índia: “achei o máximo” pela violência daqueles porcos famintos por sexos, como se as mulheres fossem suas éguas no cio. Vi as mulheres da Arábia Saudita dirigindo pela primeira vez. Nossa!! Quanto isto me deixa feliz!

Foram mais de 60 países se manifestando pelos direitos da mulher, que deseja reconhecimento. Chegamos até aqui. Isso é o máximo. Iremos chegar mais, temos ainda muito a conquistar. Sou da geração que já nasceu empoderada. Como toda mulher; já passei pelas mais dramáticas experiências com a ousadia machista. São histórias que hoje conto para os meus filhos e damos boas rizadas, diante das minhas atitudes feministas para me livrar da ousadia dos canalhas sem precisar de socorro. Acredito até se alguns existem devem ter péssima lembrança de mim.

Durante muitos séculos, a mulher foi sacrificada e condenada a situações impostas por uma sociedade patriarcal, modelo vivido de uma autoridade do homem, começando pelo ambiente da família onde a mulher tinha bem definido o seu papel na submissão de procriar, cuidar dos filhos e está á sua disposição sexual sempre que lhe fosse conveniente.

Apesar de todos os movimentos atuais e as manifestações por atrizes famosas, e personalidades, contra o assédio, violência doméstica e abuso sexual, ainda vivemos numa sociedade moralista do machismo predominante em todos os cantos do mundo. O feminismo tem gerado muitas discussões que vão além da luta pela igualdade de direitos entre gêneros, e se fortalece cada vez mais com o apoio mútuo de outras mulheres que estão cada vez mais conscientes que juntas serão mais forte.

Hoje percebemos que um dos maiores desafios de nossas vidas foi buscar a liberdade de ser quem somos, de romper com tudo que disseram que deveríamos ser, ainda que não fosse escolha nossa. Escolhemos poder fazer escolhas, pulsar com a vida, seguir o fluxo do universo. Somos livres para expressar as nossas verdades. Honramos nosso corpo, nossa essência, resgatamos nossas ruínas e fizemos as pazes com a nossa história. Libertamo-nos para sermos o que desejarmos ser.

Descobrimos a cada dia que o que buscamos fora sempre esteve dentro de nós. Somos mulheres com toda magia, luzes e sombras, ás vezes caímos, ás vezes levantamos e seguimos adiante com amor e fé na vida, na certeza que o mundo é feito para nós desbravarmos e seguir em frente com otimismo. Reafirmamos o nosso compromisso com a integridade rumo á evolução. Por isso, nesse Dia Internacional da Mulher, possamos ser mais amigas fieis na certeza de que juntas alcançaremos muito mais.

Termos

Compartilhe

P.O. Box 490543
Everett, MA 02149

Publicidade e Anúncio

© Copyright 2017 | Brazilian J. Magazine
All rights reserved