18/09/2016 - 18:03

Reclamando do assédio, por quê?


Tem repercutido em todo o mundo o crescimento da violência sexual contra a mulher, basta acompanhar as postagem das redes sociais, noticiários na mídia  e acessar as últimas pesquisas do IPEA /Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Atos como estes são inaceitáveis, porém vamos fazer aqui alguns comentários para a nossa reflexão. A mulher desejou muito a liberdade da vida opressora machista que viveu toda vida. E veja quanta coisa conquistou: direito ao voto, cargo de relevância nas empresas, virou ministra, política e até presidente da nação de sua origem.

Porém, toda ação tem uma reação. Somos mais respeitadas pelas imagens que construímos do que pelas palavras que proferimos fora dela, e vale um adágio bem conhecido: “palavras convencem e o exemplo arrasta”. Só alcançamos a liberdade se soubermos nos respeitar e nos impor com respeito. Todas nós somos livres em nossas escolhas, também somos escravas da nossa consequência.

A mulher tem se exposto absurdamente, inclusive nas redes sociais. Tira foto com os mais variados propósitos e põem no Instagran, Facebook, sites etc. Vai à praia, posta foto de biquine, em intimidades com seus parceiros, nas badalas sensuais da noite funk, também posta. Se for à uma festa social faz questão de pousar com roupas transparentes, até sem calcinhas para chamar atenção do corpo escultural e volume dos seios, postam com quantos homens ficou ou dormiu durante balada da noite, se vendem para revistas de nudez, fazem anúncios comerciais sensuais para bebidas alcoólicas, fazem campanha para liberdade sexual participando de passeatas totalmente despidas. Entrega-se e engravida do primeiro malandro que a mídia o transforma em galã, depois estão no banco da justiça exigindo dinheiro. Fazem amor com seus parceiros, filmam, caem nas redes sociais e reclamam de invasão de privacidade.

Recentemente, uma jornalista brasileira de 22 anos, assessora de um deputado em Brasília, acuso-o de assédio e estrupo no seu apartamento particular onde ela acostumava frequentar para lhe prestar assessoria, mesmo sabendo do seu comportamento duvidoso. Todos os brasileiros e o mundo inteiro conhecem a prática imoral desses senhores políticos, homens do poder,  quando se trata de mulheres atraentes e interessantes, basta alguns escândalos recentes noticiados pela mídia. Segundo a jornalista, tinha tanta liberdade na casa do deputado, que às vezes se vestia de hobe. Como é mesmo? Despachar de hobe com um deputado? Reclamando do assédio, por quê?

Sou uma feminista radical, já afirmei anteriormente que nada justifica um assédio ou estupro, porém o bom senso deixa claro que necessitamos mudar atitudes desrespeitosas, sim, nenhuma mulher necessita ficar despida, se expor ou se vender. O nosso valor é tão imensurável que o homem usa todos os métodos da sua inferioridade para nos atingir das mais variadas formas, inclusive na violência física e moral, assim como o assédio e estupro.

Ficar reclamando do assédio, por quê? Abra os seus olhos, mude suas atitude.



COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

              



MAIS NOTÍCIAS