05/03/2016 - 16:23

A mulher se perdeu no caminho


Tem se tornado desestimulante e desolador sentar na frente do computador para escrever, diante de acontecimentos que nos deixam triste, desolado e desacreditado. Quando o assunto é defender os direitos femininos, se torna mais complexo pelas inversões de valores cada vez mais presentes nos comportamentos diários de desleixos, falta de respeito e desvio de conduta, o que é lamentável depois de anos numa guerra brutal almejando a liberdade e valores reconhecidos.

Fui de uma geração de liberdade, porém de muita disciplina. Nunca me vi como uma doméstica de avental queimando a barriga na beira de um fogão e muito menos lavando e passando como escrava de homem nenhum, servindo de reprodutora para ter um provedor das minhas contas. Perdi meus pais muito jovem o que me deu ainda maior responsabilidade de cuidar de mim mesmo diante das adversidades do mundo. Estudei muito, trabalhei muito, ralei muito e nunca me curvei diante do poder da masculinidade ou do machismo.

A mulher passou décadas, lutando para ter reconhecido os seus direitos e respeito dos seus valores como profissionais nas empresas, no mercado de trabalho nas instituições públicas, direito de votar e de ocupar cargos públicos. Pois é, tanto sacrifício para nada. Aqui no meu país vivemos uma verdadeira anarquia que outras pessoas classificam de “democracia”.

O Brasil vive uma falência moral, chafurdado na lama da corrupção e da imoralidade política de toda a sua história, começando pelo mais alto Poder juntando-se ao Congresso, Câmara, Justiça (que justiça?), etc. Prefeitos e Prefeitas de todos os municípios brasileiros, na mesma lama, respondendo processos e inquéritos por desvios dos recursos públicos, com mordomias de viagens, roupas de grife, lanchas, carros de luxo, mansões e por aí vai.

Para manter-se no Poder Dilma Rousself esqueceu sua bela história de militante e passou a ser cúmplice da maior quadrilha de corruptos do Brasil, iniciada pelo seu tutor politico, que enganou, roubou a esperança dos 200 milhões de brasileiros que acreditava, esperava e sonhava por mudanças. Hoje os brasileiros vivem sua pior fase na economia, vivendo seu inferno astral, pagando altos impostos, taxas de juros elevadíssimos, combustível o mais caro do mundo, sexta básica e a saúde pública em decadência total com cidadãos morrendo na fila dos hospitais e nos postos de saúde sem assistência, escolas públicas sucateadas e com número limitado para o fluxo da população.  Enquanto a imoralidade permeia com baixarias mais mórbidas entre aliados e opositores, nas sessões plenárias dos Poderes, até vergonhoso assistir.

O que fizeram com a maior empresa brasileira foi um ato sem perdão, além dos desvios patrocinados para campanhas políticas, milhões de dinheiro estão em contas particulares na Suiça, em outro paraíso fiscal, e patrimônios pessoais, sem nenhum tipo de punição, pela fragilidade da Lei obsoleta, interpretada e aplicada de acordo com os interesses a exemplo do “foro privilegiado”, feita exclusivamente para privilégios de bandidos e ladrões do Poder.

A mulher desejou, batalhou, brigou e quando consegiu se perdeu no caminho. É desolador ver mulheres como Dilma Rousseff,  Maria do Rosario, Mirian Belchior, Izabella Teixeira, Tereza Campello, Ideli Salvatti, Iriny Lopes, todas envolvidas em falcatruas, usadas pelo poder político do mundo machista. Que pena! Que frustração aos nossos sonhos!

A mulher não tem cumprido o seu papel nem mesmo na educação dos filhos, que permite uma baderna total nas escolas, professores agredidos e mobiliários escolares destruídos pela ira dos vândalos indisciplinados. Não tem cumprido seu papel quando seu foco é cultuar o corpo nas academias, malhando para ficar gostosa e não para sua saúde, nas clínicas de cirurgia plástica turbinando os seios e transformando o rosto para posar nua ou em poses sensuais nas redes sociais, nas boates funk praticando droga e sexo ou expondo o seu corpo para revistas masculinas, rebolando sensualmente em programas de TV ou como “bailarina” de cantores famosos.

Onde está àquela mulher sonhadora da liberdade de transformar um mundo de paz, banir as diferenças sociais, igualdade de trabalho, de salário e acima de tudo de companheirismo ao homem, gozando do seu respeito, admiração para conduzir sua família. Era dessa mulher que o mundo almejava para os nossos dias e que jogou fora as melhores oportunidades, quando não soube usar de modo eficaz a sua liberdade.



COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

              



MAIS NOTÍCIAS