25/10/2015 - 19:52

Ultrapassando o tabu para uma vida saudável


Vamos  deixar  de lado pensamentos religiosos e o preconceitos  que existem na comunidade  e conversar hoje sobre um  assunto que está na mídia,  seja através de notícias de crimes, lutas por direitos ou  vida de celebridades. Com certeza, você já deve ter escutado  do Bruce que virou Caitlyn Jenner, ou ficou curioso para entender um pouco mais do caso.

 

Estamos falando dos transgêneros. Temos   que reconhecer que a presença de pessoas consideradas “transgêneros” é uma realidade  que data de  outros séculos e civilizações,  e que são como nós, com deveres e direitos, precisando de respeito e atenção como qualquer ser humano. Transgênero  é um termo global para as pessoas cuja identidade , expressão ou comportamento não se assemelham  com o sexo do nascimento.

 

Sexo é o que vemos ao nascer, masculino ou feminino,  e que está relacionado  com os cromossomos. Gênero se refere à  identidade sexual da pessoa, como ela se identifica, independente do sexo biológico. É importante ressaltar que o que define a masculinidade e a feminilidade varia, de acordo com o “background” da pessoa , ou mesmo da cultura ao seu redor.

O transgênero, cuja condição é chamada de  “desordem de identidade do gênero”,   já foi eliminada como doença mental do guia da Sociedade Americana de Psiquiatria. Ainda não se sabe o porquê dela existir,  e várias teorias já foram levantadas sem se chegar a alguma conclusão.

 

O que sabemos é que muitas dessas pessoas evitam os cuidados de saúde por medo  de serem discriminadas e rejeitadas. Além do mais, não é qualquer   professional da saúde que é apto  a tratar deles, por isso a primeira coisa que se recomenda é procurar um médico que entenda dos seus específicos problemas. Quando o transgênero decide mudar completamente, tem que seguir um tratamento multidisciplinar e delicado, com profissionais como clínico geral, endocrinologista, cirurgião e psicólogo, entre outros.

 

Se desejar mudar sua aparência física,  buscando as caracteristicas do sexo ao qual se identifica,   o paciente necessitará do uso  de hormônios para toda a vida e é vital que entenda os seus  riscos. Por exemplo, a Testosterona pode atingir o fígado e o Estrogênio levar a problemas da pressão arterial, da glicemia e mais. Por isso a importandia de usar hormônios sob supervisão médica adequada.

 

Outro fator que chama a atenção daqueles que buscam a figura corporal feminina é o uso do silicone. Este  deve ser administrado somente por profissionais capacitados, podendo disfigurar o corpo se o procedimento for mal realizado. O silicone tem que ser  de qualidade e puro. O que ocorre é que, muitas  vezes por causa da marginalização e falta de recursos,  o transgênero  o usa sem as condições sanitárias adequadas, usando seringas utilizadas por outros e com isso,  correndo o risco de contaminação, doenças transmissíveis como a hepatite e até a morte.

O transgênero tem riscos de doenças cardíacas por causa do uso de hormônios e, às vezes,  associado com o fumo e obesidade. Devem constar na vida médica do paciente rotinas, como a  verificação  da pressaão arterial e do colesterol.  Exames de “screening” do câncer (seja de útero, ovários para os que ainda apresentam os seus orgãos internos femininos, e de próstata para o masculino,  ou o de mama) também  não devem ser esquecidos na pauta da saúde.

 

Dá pra notar a importância nos cuidados de saúde deste grupo de pessoas, as quais além de acompanhamento apropriado por médicos  necessita apoio psicologico e psicoterapêutico. Elas apresentam um  alto risco de desenvolverem ansiedade e depressão,  levando a muitos casos de suicídios. Outros, podem se envolver com drogas, fumo e álcool.

 

Talvez você tenha lido esta coluna e pensado , “que coisa mais ridícula, falta de vergonha, uma aberração na sociedade”. Eu te desafio a entender o porquê de tudo isto. Pode ser a situação do teu parente , do teu amigo ou até mesmo a sua, que ainda não teve apoio ou coragem para tornar público uma situação que te corroe por anos e que te faz infeliz. Então, ponha-se no lugar destas pessoas que não escollheram serem apontadas por outros membros da comunidade e que vivem isolados, muitas vezes.

 

Nós vemos vários casos do imigrante se escondendo por causa da situação migratória e com medo de represálias. Imagina estar no lugar de um transgênero que passa pela mesma experiência, e  o pior, alguns com medo e protegendo a própria vida? Tudo isso acontecendo, não por questões genéticas, mas devido às condições ao seu redor, onde impera  em várias ocasiões o menosprezo, a intolerância, a falta de conhecimento e, por quê não dizer de amor.



COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

              



MAIS NOTÍCIAS