06/09/2015 - 20:07

De que lado você está?


O fim deste verão anuncia não somente o início do outono e a preparação para o inverno. É um tempo de intensas negociações, uma vez que o próximo ano é de eleição presidencial. Quer dizer, nada de concreto vai acontecer a partir de janeiro de 2016 e até o novo presidente ou a nova presidenta tomar posse em janeiro de 2017 porque os politicos vão estar envolvidos na campanha.

 

Aqui no Estado nós temos projetos importantes na State House: O Trust Act, ou Ato Confiança, que poderá diminuir o número de deportações porque vai impedir que a polícia trabalhe com a Imigração. Tem o projeto da carteira de motorista, atualmente na Comissão de Transportes, e que deve ter uma audiência pública em outubro próximo.        

 

Este projeto tem grandes chances de caminhar dentro da Assembleia e Senado estadual se a Comissão de Transporte o colocar na lista de prioridades. Por enquanto não está, mas nós podemos forçar que seja visto pelos membros da Comissão como prioridade, se fizermos nossas vozes serem ouvidas.

 

Assusta bastante ver e sentir a apatia do povo. Todo mundo está mais interessado em trabalhar e garantir que não será pego pela Imigração do que de lutar por leis Justas e que vão beneficiar toda a comunidade. É compreensível. Precisa-se de trabalho para colocar comida na mesa e pagar as contas, garantir o sustento da família. O medo da Imigração também é “normal”. Mas, mesmo com medo, temos de lutar senão nada acontecerá, nenhum dos projetos mencionados e outros, como o acesso à universidade, terão a menor chance. E sem estes projetos estamos mais desprotegidos e à mercê dos supremacistas brancos.

 

Como Donald Trump, por exemplo, que usa as palavras como arma para dividir, gerar ódio, preconceito e violência. Haja visto o mexicano barbaramente agredido por dois homens brancos, queforam inspirados por Trump. O que ele fala me assusta e dá asco, mas fico ainda mais petrificada quando vejo algumas pessoas concordando com Trump. O mexicano que apanhou até quase morrer é um. Hoje ou amanhã muitos outros sofrerão as conseguências deste discurso cheio de conotações maliciosas e tendências perversas.

 

Só fazem 75 anos que Hitler pregava a supremacia branca dos alemães e instigava o extermínio das outras raças. Quantos judeus foram assassinados em nome desta mentalidade? Donald Trump pode usar outras palavras, justificativas e se aproveitar da ignorância, do medo e da facilidade com que certas pessoas fazem o mal. Mas o significado é o mesmo. E a história prova que só o povo unido e organizado pode provocar uma mudança de mentalidade. De que lado você está? 



COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA