06/03/2015 - 14:54

Universo da Violência


Vivemos momentos muito delicado em que a violência está o tempo todo a nossa espreita. O que ocorre então, para que a violência esteja em voga e tão assustadora? Não resta dúvida que a violência é alimentada pela conduta social e pela postura política dos governantes, sem falar na má distribuição de renda que agride aos menos favorecidos.

 

Vale lembrar também a impunidade que acontece no Brasil através das Leis  absoletas e cheias de facilidade na progressão da violência e a certeza de não ser punido. Ultimamente nunca se puniu tão pouco no Brasil, tantos criminosos, bandidos e corruptos, que permanecem impunes não só pela fragilidade da lei, como pela falta de interesse dos maiores responsáveis, que só visam seus interesses ambiciosos e pessoais.

 

Não podemos, por outro lado, ficar tão críticas de nossa história como se só o Brasil fosse o expoente de tanta violência. Em países de primeiro mundo, a violência também é visível e, por vezes de forma até mais grave, como vimos observando diariamente através da mídia, sem falar do terrorismo e suas nefastas consequências. O ser humano, por si só traz em si um grande potencial de violência e agressividade.

 

O ódio antecede o amor. O bandido funciona com objetivos muito bem definidos, se eu não tenho e você tem, eu quero o que você tem. Independentemente da forma, ele pega um atalho e ao invés de se preparar, estudar e de trabalhar para angariar seu dinheiro honestamente, vislumbra o imediatismo do benefício, mesmo sabendo dos riscos. Existe ainda o bandido ambicioso do poder que quanto mais tem, mais quer, e o seu querer é sem limite.

 

Outro fator importante que facilita a propagação da violência são as drogas, que mascaram a realidade, obscurecendo qualquer tentativa de bom senso, e com graves consequências. Algumas deformações cerebrais, entretanto podem facilitar a violência e ai, naturalmente essas pessoas, tendo sido identificadas, não precisam de prisão e sim de tratamento.

 

E no cenário dessa violência, uma me chama atenção: a violência doméstica. O meio, entretanto, é o grande desencadeador da violência doméstica tendo como a maior vítima a família. São mulheres agredidas de todas as formas, quer seja verbal, moral, física e psicológica. Adolescentes expostos a drogas, pedofilia, latrocínio e os mais bárbaros crimes, tudo em consequência de um sistema de impunidade, descaso e desequilíbrio familiar.

 

Não tenho dúvida que a violência doméstica passa pela família e muita coisa ainda há de ser feito. A carência de uma vida sem sonho e o descaso do poder público em educação, saúde e emprego, leva as famílias ao desespero de ver seus filhos parentes e amigos morrendo na porta dos hospitais desfalcados de equipamentos e espaço físico em condições desumanas. Escolas públicas vergonhosas em abandono com a merenda escolar limitada, quando não desviada, Prefeitos que não cumpre seu papel com a sociedade desviando verbas para o seu patrimônio pessoal. Nesse cenário de abandono as famílias entram no seu abando próprio. São jovens violentos consumindo e vendendo drogas, abordando e até agredindo pessoas em semáforo e estacionamentos públicos, adolescentes vendendo seu corpo na mão dos pedófilos e assim segue a vida. A família tem a função estrutural, ela traz dentro de si valores e respeito, porém eu pergunto: Que valores têm uma família que vive nesse abandono? Quais os exemplos de vida que ela tem para transmitir quando o próprio provedor vive no alcoolismo e na violência dentro do próprio lar?  A desestruturação e degradação da família são as grandes responsáveis pela barbárie, porém se seus valores forem preservados a realidade seria outra.



COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

              



MAIS NOTÍCIAS